Pesquisar

Estudo Lira-SPD

Acesso >>

Newsletter



Dia Mundial da Diabetes

Como já vem sendo tradição nos últimos anos a Sociedade Portuguesa de Diabetologia (S.RD) tem tido a iniciativa de promover e organizar as comemorações do Dia Mundial da Diabetes, juntamente com a Sociedade Portuguesa de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo (S.P.E.D.M.) e a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (A.P.D.P.). No ano de 1999, as comemorações nacionais tiveram lugar em Coimbra nos Auditórios dos Hospitais da Universidade de Coimbra (H.U.C.), cabendo a organização local ao Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismos dos H.U.C., ao Núcleo de Diabetologia do Serviço de Medicina do C.H.C. e à Associação dos Diabéticos da Zona Centro (A.D.Z.C.).

A celebração do Dia Mundial da Diabetes, tem como finalidade primária chamar a atenção das entidades oficiais, dos profissionais de saúde, da comunicação social e da comunidade em geral para a problem tica da Diabetes Mellitus.

Nesse sentido foram convidados as entidades oficiais ligadas à Saúde a nível nacional e local, os responsáveis pelas Escolas Superiores de Saúde da região Centro (Corpos Directivos da Faculdade de Medicina, Escolas Superiores de Enfermagem e Faculdade de Farmácia, bem como o reitor da U C.), Bastonários das Ordens dos Médicos, Enfermagem e Farmacêuticos, Presidentes dos Sindicatos dos Médicos e Enfemeiros, o Sr. Bispo de Coimbra, a imprensa nacional e local (televisão, estações, rádio e imprensa escrita) e a população em geral.

De acordo com o sugerido pela Federação Internacional de Diabetes (I.D.F.), que tem sido a dinamizadora do evento a nível mundial, o tema versado este ano foi "Os Custos da Diabetes", a avaliar sob diversas perspectivas A económica, isto é, os custos directos e indirectos dos serviços de saúde e os suportados pelas pessoas com diabetes, os custos sociais, os custos individuais (não económicas) e os custos inerentes às alterações que a doença acarreta em termos de qualidade de vida.

A escolha deste tema prende-se com o facto da diabetes mellitus ser uma doença em franco crescimento epidemiológico, (quase um crescimento epidémico) tanto nos países desenvolvidos como em vias de desenvolvimento, que afecta majoritariamente as pessoas em idades economicamente activas. Por outro lado, as características da doença em si mesma, nomeadamente a sua incurabilidade, a necessidade de tratamento e autovigilância glicémica diárias, consultas e exames complementares frequentes, aumento de internamentos hospitalares e a capacidade de induzir complicações tardias invalidantes, com inevitável absentismo laboral, surgem como componente inevitável de aumento da gastos econ¢micas a nível dos orçamentos da saúde nacionais e individuais.

A única maneira de travar este crescendo exponencial de gastos, passa pela prevenção da doença, o seu diagnóstico precoce, pela optimização do seu tratamento quer da doença quer das complicações, (o que implica a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de locais assistenciais específicos) e pela comparticipação o mais alargada possível (até a gratuitidade) dos materiais necess rios para tratamento e autovigilância eficazes, atempada. Tendo em conta os pressupostos anteriores a organização das comemorações nacionais do Dia Mundial da Diabetes decidiu promover um colóquio sobre "Os custos da Diabetes" para o qual foram convidados como palestrantes, diversos especialistas de acordo com a área a abordar e uma pessoa com diabetes. Foram os seguintes phpectos abordados e os respectivos palestrantes:

"Os custos da Diabetes em Portugal" - Drª. Lurdes Nogueira, Administradora Hospitalar e técnica da Agência de Contractualização dos Serviços de Saúde do Centro.

"Os custos sociais da diabetes por perda de produção" - Dr. M. M. Ruas, Chefe de Serviço de Endocrinologia, Director do Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo dos H.U.C.

"Qualidade de vida e Diabetes" - Prof. Doutor Pedro Ferreira. Professor Associado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Coordenador da Agência de Contractualização dos Serviços de Saúde do Centro.

"Os custos individuais da Diabetes" - Gustavo Cardoso. Presidente da Assembleia Geral da Associação dos Diabéticos da Zona Centro.

A Sessão Comemorativa teve a honra de ser presidida pela Senhora Ministra da Saúde, Sr.ª Prof.ª Doutora Manuela Arcanjo e os respectivos Secretários de Estado da Saúde e dos Recursos e Modernização da Saúde, Dr. José Manuel Boquinhas e Dr. Arnaldo Silva, bem como os representantes das Sociedades Organizadoras, estando presente pela S.P.D., o seu Presidente Sr. Dr. Nunes Corrêa, pela S.P.E.D.M., o responsável pelo Grupo de Estudos de Diabetes, Sr. Dr. Almeida Ruas, pela A.P.D.P., o seu Presidente Sr. Dr. Silva Graça, as autoridades locais, Director do H.U.C., Prof. Doutor Paiva de Carvalho e Governador Civil e Presidente da Câmara de Coimbra Dr. Horário Antunes e Dr. Manuel Machado.

Na prateia marcaram presença o representante da A.R.S. do Centro, os órgãos Directivos da Faculdade de Medicina da U.C., dos Hospitais da Região Centro, os Representantes dos Bastonários da Ordem dos Médicos, Enfermeiros e Farmacêuticos e dos respectivos Sindicatos. Estiveram ainda presentes outras individualidades locais e nacionais, nomeadamente representantes das Associações de Diabéticos, outros profissionais de Saúde, pessoas com diabetes, população em geral, representantes da Indústria Farmacêutica e da imprensa.

A sessão iniciou-se com um interlúdio musical clássico executado por uma pianista e uma violinista, seguindo-se a alocução de boas-vindas pelo Sr. Dr. Nunes Corrêa. Na referida alocução o Presidente da S.P.D. agradeceu a presença da Sr.ª Ministra e respectivos Secretários de Estado, "o que no inicio das actividades do novo governo, prova bem o interesse da tutela na problemática da diabetes". Acrescentou ainda que " com efeito a diabetes e as suas complicações são consideradas hoje nos países desenvolvidos como o mais grave problema de Saúde Pública e só uma boa coordenação e racionalização dos meios de automonitorização, na educação dos diabéticos e na prevenção das complicações tardias têm resultados espectaculares na redução dos custos para o indivíduo e para o Estado". A terminar o Sr. Dr. Nunes Corrêa reafirmou "Quer o meio milhão de diabéticos portugueses, quer as Sociedades de Diabetologia e de Endocrinologia e as Associações de Diabéticos (nomeadamente a A.P.D.P.). e as associações regionais, (como a A.D.Z.C.) oferecem toda a sua colaboração para, conjuntamente com o Ministério da Saúde e demais instituições envolvidas, contribuírem para a resolução do problema da diabetes no nosso país'.

Seguiu-se o colóquio que despertou muito interesse entre a assistência e as individualidades presentes, principalmente pela informação inovadora, embora parcial, sobre alguns custos económicas da diabetes em Portugal.

Por gentileza dos palestrantes são publicados aqui os textos das referidas intervenções.

Exceptua-se a do representante da A.D.Z.C. que num improviso, a que não faltou alguma amargura, falou da sua vivência como pessoa com diabetes, do conflito de sentimentos que lhe motivou o diagnóstico e o receio das complicações tardias da doença. Referiu ainda que a compreensão por parte das pessoas com diabetes de que só a optimização terapêutica pode permitir uma vida de qualidade, tem estado na base da luta desenvolvida por todas as Associações de Diabéticos, pelo direito à gratuitidade dos custos dos medicamentos e dos meios auxiliares para a administração da insulina e execução de autovigilância glicémica bem como do direito ao atendimento diferenciado em Diabetologia.

Por último e a encerrar a sessão oficial falou a Senhora Ministra da Saúde que reafirmou "estar permanentemente disponível para ouvir e tratar conjuntamente os problemas inerentes à doença diabética". Sublinhou ainda, dando ênfase aos custos pessoais e sociais, que "os custos financeiros embora importantes se forem bem aplicados para minimizar os custos pessoais de todos os diabéticos ser motivo de satisfação."

A sessão oficial terminou com novo interlúdio musical clássico, seguindo-se um almoço de confraternização no refeitório dos H. U. C., para o qual foram convidados todos os sócios da A.D.Z.C. e seus familiares bem como as autoridades presentes, na comemoração oficial.

 

  Prof.ª Dr.ª Manuela Carvalheiro