Pesquisar

Newsletter



Posição da SPD face à nova metodologia de medição da Hemoglobina Glicada

PROPOSTA DE DECISÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE CONTROLO DA DIABETES EM RELAÇÃO À NOVA PADRONIZAÇÃO DOS RESULTADOS LABORATORIAIS DA HEMOGLOBINA GLICADA ( Hb A1c).

A necessidade da padronização internacional dos valores da hemoglobina Glicada, a partir de um método laboratorial de medição e calibração rigorosa e menos sujeito a variações nos valores de referência para a Hb A1c, levaram à adopção de uma nova metodologia aprovada pela IFCC ( International Federation of Clinical Chemistry and Laboratory Medicine ), tendo a sua adopção e implementação imediata sido objecto de uma directiva comunitária já para o ano corrente de 2004.

Contudo, este método que constituirá o novo referencial a nível global de calibração para a HbA1c, apresenta em média valores inferiores em 2% aos métodos clássicos, nomeadamente os utilizados nos estudos DCCT e UKPDS.

Considera a SPD e a Comissão de Acompanhamento do Programa Nacional de Controlo da Diabetes que a adopção, de imediato, da calibração aprovada pelo IFCC, sem medidas de alerta quanto aos novos padrões da «normalidade» ( HbA1c inferior a 4% ! ) tem riscos, pois poderá induzir em erro muitos clínicos na interpretação do controlo metabólico dos doentes diabéticos e, assim, prejudicar gravemente a saúde destes.

Assim, e à semelhança, das recomendações já propostas pelo INSA, consideramos que deve ser obrigatório que todos os laboratórios nacionais que adoptarem o método de medição da Hemoglobina Glicada de acordo com o padrão IFCC deverão continuar a utilizar a calibração DCCT, nesta fase de transição de modo a serem prevenidos os problemas resultantes de uma errada interpretação quer pelos clínicos , quer pelos próprios doentes.


Pela SPD

Rui Duarte