Relatório de Actividade

Ano 2012

 

RELATóRIO de ACTIVIDADES da SOCIEDADE PORTUGUESA de DIABETOLOGIA do ano 2012

Pesquisar

Newsletter



Introdução

Colegas,

Nesta reunião da Sociedade Portuguesa de Diabetologia em que estão reunidos todos os médicos que se interessam peça área da diabetologia é o lugar próprio para a criação de um grupo de estudos.

Qual o interesse da criação do grupo de estudo de Diabetes e Menopausa?

A maior parte das mulheres com diabetes que tratamos estão no escalão etário coincidente com o período do climatério, o que aumenta o factor de risco de DCV (doença cardiovascular) 3 a 4 vezes. Além disso, a situação de hipoestrogenismo aumenta a insulino-resistência, sendo talvez um dos factores a agravarem a evolução da insulino-resistência para a diabetes mellitus.
A prevalência da diabetes mellitus é de 4 - 7% nas mulheres em menopausa.
Em Portugal prevê-se que haja 2 milhões de mulheres em menopausa das quais 100.000 a 140.000 terão diabetes.
A principal causa de mortalidade é a DCV por enfarte de miocárdio nos países desenvolvidos ou por acidente vascular cerebral nos países em vias de desenvolvimento e nos países mediterrâneos. Em Portugal o acidente vascular cerebral é a 1ª causa de morte, que sabemos estar correlacionado com um inadequado controlo da hipertensão arterial.

Trazemos um projecto de trabalho para ser feito a nível nacional conjuntamente com outras sociedades científicas afins, e centralizado na nossa sociedade.
Vamos analizar o que se passa com as mulheres diabéticas portuguesas.
O objectivo deste estudo prospectivo é de saber se instituindo THS (terapêutica hormonal substituitiva) fazendo prevenção primária ou secundária de DCV, corrigindo simultaneamente os outros factores de risco: glicémia, displidemia e hipertensão.
Estudos feitos em outros países mostram que a incidência de osteoporose nas mulheres diabéticas é baixa. No nosso estudo vamos analisar também esta complicação da menopausa.
O protocolo que redigimos é o mais simples possível para ser executado sem falhas e fácil de preencher.
Nos espaços sombreados não se escreve e explicitam os exames a não requisitar em dada visita.
Nos comentários registamos os eventos cardiovasculares incluindo doença tromboembólica, ou outras complicações.
A transcrição de exames imagiológicos será: normal ou
Mamografia - Microcalcificações suspeitas, carcinoma
Eco vaginal - Espessura do endométrico > 5mm
Eco vesicular - litíase vesicular
Portanto só explicitar a anomalia

O sucesso ou insucesso deste trabalho depende da aderência de cada um de nós.

Estando interessado em participar neste grupo de trabalho inscreva-se e deixe o seu contacto ou contacte a Siciedade Portuguesa de Diabetologia ou Elizabete Geraldes telf. 239400423 - Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar
Chefe de Serviço de Endocrinologia - Hospitais da Universidade de Coimbra 3000 - 075 Coimbra

Estudo prospectivo do efeito da THS em mulheres com diabetes em menopausa.

Material: 5 grupos

1 Grupo de diabéticas com estradiol + progesterona contínua
2 Grupo de diabéticas com estradiol + progesterona sequencial
3 Grupo de diabéticas com estradiol
4 Grupo de diabéticas com tibolona
5 Grupo de diabéticas sem THS - Grupo de controlo

Métodos:

Critérios de inclusão:

Mulheres com diabétes em menopausa
Menopausa: Sintomas vaso motores

FSH > 30 mUl/ml e E2<30 pg/ml
Amenorreia de 6 meses
Castração cirúrgica
Idade >45 - <65 anos

Critérios de exclusão:

Antecedentes de doença tromboembólica
Antecedentes de carcinoma da mama
Com mais de 65 anos

Protocolo de THS nas mulheres com diabetes em menopausa

Estradiol por via transdermica: 25 a 50 µg
Climara, Dermestril, Estraderm MX, Menorest contínuo ou
Estronar - gel de 50 µg 1/2 a 1 medida todos os dias

Se tiver útero prescrever:

Estradiol por via trandermica: 25 a 50 µg durante 3 semanas
e
Progesterona micronizada
Utrogestan 1 caps./dia todos os dias ou 2 caps./dia do 7º ao 21º dia do mês

Se não desejar "menstruar":

Estradiol mais progesterona contínua em baixa dose
ou
Tibolona - "Livial" 1 comp. todos os dias

Protocolo de avaliação:

Na visita 0 e de 6 em 6 meses deverá fazer:

Glicémia/insulinémia de jejum
Hemoglobina glicada A1c (fazer de 3 em 3 meses)
Colesterol total, colesterol - HDL e LDL
Triglicerídeos
Proteína C reactiva
Registo de peso, IMC, relação cintura/anca
Registo da tensão arterial

Na visita 0 e de 12 em 12 meses:

Microalbuminúria em urina de 24 horas
Mamografia
Ecografia endovaginal pélvica com determinação da espessura do endométrio
Ecografia da vesícula (litíase?)
Ecodopler carotídeo com determinação da espessura do endotélio
Cintigrama cardíaco

Na visita 0 e aos 24 e 48 meses:
Densitometria óssea

Se hemorragia vaginal após 6 meses de THS pedir ecografia endovaginal pélvica

Se HbA1c > 7% realçar: a terapêutica médica nutricional
o exercício físico: marcha
ajustar a dose de ADO e/ou insulina

Se TA superior a 125/85 mmHg usar IECAS e/ou outro grupo de fármacos até atingir ou aproximar este valor tensional.

Se Triglicerídeos > 200 mg/dl usar gemfibrosil ou fibratos após correcção alimentar
Se colesterol-LDL > 100 mg/dl usar estatinas após correcção alimentar

Se apresentar síndroma varicoso ou risco de doença tromboembólica pedir doseamento de proteína C, proteína S e anti-trombina III

Se apresentar espessura do endométrico > a 5 mm ou se tiver hemorragia anómala enviar ao ginecologista para biópsia do endométrico

Prescrever THS após informação de riscos-benefícios e consentimento
Iniciar a THS com doses baixas, e, aumentar se persistência de sintomas vasomotores

Ao fim de cada ano enviar a folha preenchida para:
Grupo de Estudo Menopausa e Diabetes
Sociedade Portuguesa de Diabetologia

Preços totais dos farmacos:

Estrogénios

Estradiol

25 - 50 µg

  Climara
Dermestril
Dermestril
Septem
Estradem MX
Estronar-gel
Menorest

1870$
1513$
1472$
1592$
 642$
 642$
1545$

 

Progestativo

Progesterona

 

100mg

Ultrogestan
30 caps.
1540$
 
Tibolona            
 
2,5mg Livial   4029$